A Verdade Proibida sobre Administração Hoteleira-(fomos censurados)

O Meu Sócio e Amigo publicou em seu blog um artigo sobre os custos de um Hotel que respeite as ABSURDAS LEIS DOS IMPOSTOS, normalmente os artigos de nossos Blogs vão para a imprensa especializada, pois que como consultores formamos opinião. Neste Caso a Imprensa não pode publicar e no artigo Mário Nogales explica o porque. Abaixo a Integra do artigo:

Brasil: um país de bananas!

Postado por às 10:35

Ouvindo hoje uma entrevista com o cantor Lobão, sua frase me chamou a atenção “Brasil um país de bananas”, e não é que ele está certo?

Quando eu era garoto, nos anos 1980, ouvia muito que o “Brasil é o país do futuro’, só que o futuro chegou e continuamos carregando a sina de um país retrógrado, também pudera, com a educação nos últimos lugares onde até países com economias fracas tem uma educação melhor, os brasileiros ainda esperam que o “seu ministro venha ajudar”.

Realmente somos um país de bananas quando cedemos o nosso poder nas eleições para que um bando de mafiosos administre o país de acordo com seus bolsos e coloquem em xeque o que é privado.

Realmente somos um país de bananas quando deixamos que um imbecil qualquer como o Ministro Gastão Vieira dizer que: “As hospedagens alternativas estão ocupando o espaço daqueles meios que estão cobrando preços acima da média”.

Se a imbecilidade coletiva fosse pouca, seriam poucos o que deixariam um Gastão Vieira entrar em pé de guerra com a hotelaria, obviamente que a maioria se levantaria e exigiriam que mais este metralha fosse retirado de sua cadeira quase que cativa no governo, contudo, devemos ter o dever e a decência de esclarecer a todos, tanto os hoteleiros profissionais, quanto os proprietários de hotéis, quanto o publico em geral que as diárias na hotelaria seriam muito mais baratas se o governo fizesse pelo menos sua parte.

Primeiro vamos deixar claro que o governo, em todas as esferas, é um sócio obrigatório em todas as empresas, na hotelaria então nem se fala, somente de impostos diretos chegamos a um patamar invejável até para países do G4. A carga tributária direta para meios de hospedagem nas capitais chegam ao assombroso percentual de 19.73% da receita (por dentro ainda por cima), isto quer dizer que para cada R$ 100,00 que se paga em diárias nos hotéis, vai para os governos a quantia de R$ 19,73 diretamente, sem questionamentos, sem exigências, sem mais nada (e em muitos casos sobram apenas R$ 5,00 para o proprietário do hotel).

Caro Ministro Gastão Vieira, quer que as diárias sejam menores? Faça com que o imposto seja menor.

Quer mais? Como se não bastasse a quantia exorbitante do imposto direto os hoteleiros ainda tem que:

  • Alimentar a todos os colaboradores e seus familiares
  • Contratar segurança particular
  • Pagar exorbitantes preços com seguros
  • Pagar sistemas de saúde privada para todos seus colaboradores
  • Pagar o transporte e a condução de seus colaboradores
  • Dar ensino aos seus colaboradores

Tudo isto, obviamente, irá onerar os preços das diárias, afinal de contas a hotelaria tem que pagar por aquilo que o governo deveria ou está cobrando para fazer.

Ah! Mas isso ainda não é tudo, considere que temos de pagar menos da metade do salário para os colaboradores porque o governo fica com mais da metade com a desculpa de que o está protegendo, notem que para cada R$ 100,00 pagos ao colaborador outros R$ 115,00 vão para o governo (se isso não é máfia não sei como chamá-los)

Adicione a esta soma os impostos como IPTU, IRPJ, IPVA, além das taxas de coleta de lixo, de ECAD, de Turismo, de EMBRATUR, de Sindicatos e de outras parafernálias que nem me vem a cabeça e pronto, somos um país de bananas.

É como se estivéssemos na seguinte situação, nós trabalhamos, nós geramos recursos e tem um capanga do nosso lado com uma arma em nossas cabeças tomando quase a metade do que geramos e em troca recebemos chutes, pontapés, socos e ainda ficamos amarrados no tronco para ter uma bela noite de sono.

De fato o ministro não é imbecil, ele sabe exatamente o que está fazendo (e não só ele, todos os seus antecessores desde que nos tornamos república. Como deveria ter sido ótimo Dom Pedro II, nosso único estadista), e o que eles estão fazendo? Estão nos fazendo de bananas e nós nos comportamos como tal!

E mesmo assim: nossa hotelaria se sobressai, sem sonegação, sem mágica, com trabalho e dignidade. Tenho orgulho de ser brasileiro, tenho orgulho de estar na hotelaria, ainda vamos mudar isso tudo porque somos muitos e os que nós deixamos que nos liderem são poucos, por isso digo: Estou cansado de ceder meu poder à outros, ou estes outros mudam ou serão substituídos.

Atenção, este texto foi reeditado em outras publicações devido a ameaças de processos recebidos pela assessoria de imprensa do Ministro GV, a unica coisa que tenho a dizer além da censura feita às revistas que publicam meus artigos é:

Peço desculpas ao Ministro Gastão Vieira se o chamei de imbecil, as revistas não tem nada haver com isto, é uma opinião minha e de fato, imbecil sou eu por acreditar que vivo numa democracia.

O Turismo e Oportunidades a Realizar

O Senhor Antoninho Marmo Trevisan teve publicado um artigo na revista Hotéis que eu não poderia deixar de comentar, porém ficou longo e acabou se tornando numa postagem.

Rui fundo cristal D Menor
CEO-Águia Consultoria
Consultoria Hoteleira Plena
Revenue Management

Lia um artigo do Senhor Antoninho Trevisan onde encontrei muitas e lamentáveis verdades o que, como consultor profissional da área não podia deixar de comentar. Diz o Senhor Trevisan com toda a propriedade, que temos imensas faltas, muitas das quais uns usam como desculpas, outros para justificar a injustificável, mas de algo precisamos estar cientes, acima de tudo precisamos de Infraestruturas. Portuárias, Aeroviárias e Rodoviárias. Torna-se indispensável segurança pública CAPAZ, e não do tipo complexo do Alemão onde todos sabemos que não passa de uma palhaçada cara e onde quem manda continuam sendo a Minoria terrorista que continua dando as cartas. Precisamos ações sérias e eficientes, não fanfarronice barata e demagogia. Porque embora aparentemente se engane uma parte da população Brasileira, estamos aqui falando de turismo oriundo do exterior, e quer os Senhores Governantes queiram, quer não, lá fora sabe-se exatamente o que há aqui dentro e as tentativas de mascarar. Ninguém engana ninguém.

Pacificar uma região, quando isso realmente acontece, não pode ser uma solução isolada comovem sendo, este processo precisa ter continuidade, ou seja, como todo o processo ele precisa Início – Meio –e – Fim. Senão reparemos as áreas que foram efetivamente “limpas” para onde foram os maus elementos dali expulsos? Deixaram as atividades? Converteram-se? Não, eles foram para cidades do interior, na maioria das vezes sem contingente policial e a partir daí traçam suas arruaças e estratégias de ataque, depois aparecem os governos da Capital dizendo (viram diminuímos a criminalidade). Mentira. Transferiram-na para locais onde é menos percebida. Isso não é solução é Embromação

PRECISAMOS DE AÇÕES PARA PROMOVER SEGURANÇA PÚBLICA. AÇÕES NÃO APARATO OU ENROLAÇÃO QUE É O QUE SE VÊ.

Não esqueçam que as reformas dos pontos de entrada e das rodovias assim como de nossos pontos turísticos que devem se mantidos na maior naturalidade possível passa por sistemas de sinalização, e é uma vergonha ver que cada 5 placas de sinalização com tradução seja para que língua for 4 estão erradas ou com vocabulário inadequado, o que é outra vergonha.

O Artigo do Senhor Trevisan trás dados que mostram que os Gestores andam na contramão do que precisa ser feito, a inflação “oficial” 5,4% e a do setor de 9,6% isso nos mostra ou que estamos andando para trás ou que o aumento de 13,1% no faturamento apresentado pela pesquisa da FGV não é sustentável, pois trata-se de um aumento com base no aumento de preços o que é lamentável. E não me vem com história de que é para cobrir os custos, isso para mim é história para boi dormir, custos se diluem.

Existem artigos meus que inclusive foram publicados por outras pessoas, mas mesmo na revista Hotéis ele está assinado por mim, cujo título é “custos diluir ou reduzir”.

Sabemos também a incongruência do chamado custo Brasil que nos cobra as taxas mais caras do Mundo e em troca não nos dá absolutamente nada, porém é um custo que atinge toda a cadeia produtiva. Há que lidar com ele, Nossos governantes não conseguem entender os benefícios imediatos de reduzir estes custos em 67% seria o Ideal não só para o empresariado como principalmente para o Brasil e os ganhos seriam astronômicos, mas parece não haver o menor interesse nisso.

Como a Maioria de nós o Senhor Trevisan também aponta a copa do Mundo e a Olímpiada como dois momentos extraordinários para incrementar o Turismo Nacional, mas como se as infraestruturas não vão estar prontas, e se os Turistas na sua maioria hoje já entenderam que o País é o País mais caro do Mundo para se Viajar e em troca pouco ou nada oferece, cada vez que pergunto a alguém que vai de férias para onde vai diz: “não dá para ficar no Brasil, é muito mais caro” e é esta não só a mentalidade reinante como a triste realidade.

Aumentar preços não ajuda a melhorar nada, ajudam a fechar empresas, Permitir que companhias aéreas formem carteis e a isso se dê nomes Bonitos não ajuda e tira do País os Turistas e leva para fora os Brasileiros que querem fazer turismo.

Vamos ver alguns motivos: Tirei os dados da Decolar.Com –  com ida em 10.09 e volta em 12.09

SP X Curitiba X SP = 374,00 + taxas Lisboa X porto Lisboa  – US$ 28,00 + TX
SP X FOTZ X SP = 1.585,00 + Taxas Lisboa X Berlim X Lisboa US$ 254,00  Tx
SP X SSA X SP R$. 880.00 + TX Lisboa X Paris X Lisboa US$ 112,00+TX
SP X RJ X SP  R$. 307,00 + TX Paris X Lyon X Paris   US$ 80,00 + TX
**POA/SLMA/POA R$. 1.940,00+ TX Lisboa/ Helsinque/Lisboa US$ 395+TS

** este item tem por finalidade mostrar a disparidade de voos de longa diatância – Lisboa Helsinque (capital da Finlândia) Lisboa são em termos de voo 370 Km a mais que POA São Luiz. A Passagem europeia custa menos da metade do preço. Será que as Cias Aéreas de lá são ONGS Beneficentes, ou têm Administrações eficientes?

Fica nítida e gritante a diferença de preços entre andar pela Europa haja vista que a França recebe 76% do turismo Mundial ou andar pelo Brasil. A diferença entre USA e o Brasil não é tão grande e por vezes nem existe, mas claro que para quem vai fazer compras é muito interessante. Como Diz em seu Artigo o Senhor Trevisan há muito a ser feito, e me desculpe mas preciso acrescentar. Pouco interesse em se fazer.

Como bem diz o Senhor Trevisan, o que o Governo vai ou não fazer em pouco ou nada ajuda, porque este em vista do que sempre fez vai mascarar de última hora, mas, esqueçamos o que não vai ser feito. Urge a iniciativa privada se unir e entender que aumentando preços não só não vai ganhar o que acha que vai como vai conseguir diminuir depois destes dois eventos o já vergonhoso número de fluxo de Turistas que nos visita. Precisam se preparar para realmente alavancar seus negócios com base no evento e não nos Preços. Não se esqueçam de que essa estupides de preço ter a ver com oferta e procura só é verdade quando você estabilizou o mercado e não num mercado cheio de falhas. Se você me vir administrando um Hotel eu pratico o menor preço possível e o Maior preço possível todos os dias ou na pior das Hipóteses três vezes por semana isso não vai fazer ninguém me acusar de estar me compensando em determinadas datas. Cuidado esta comparação de preços de Faço é uma façanha de alta gestão, não saia por aí tentando fazer de qualquer forma que não dá certo, mais ou menos assim, “não faça isso em casa”.

Vamos então usar o real legado arquitetônico e a estrutura destes dois grandes eventos para alavancar o Turismo no Brasil só não se esqueçam 90% dos empresários do turismo nacional não sabe que o Turismo é uma indústria, e é o Turismo é talvez a Indústria mais rentável e maior geradora de riquezas do Mundo, para isso tem que ser tratada como tal (Indústria) e explorada com indústria por enquanto e ao que se viu no fracasso por mim esperado da copa das confederações vai não só se repetir como piorar. O EMPRESÁRIO VEM EXPLORANDO O TURISTA e isto tem cara de roubo, como ninguém gosta de ser roubado, Ele se vai e diz BRASIL MUITO CARO… É verdade, ou não, mas é a imagem que vai. Escolham querem ganhar um de cada um milhão ou 1000 de cada 10? A Opção é sempre vossa, e o resultado vocês colhem o que plantarem, mas nada de arrumar culpados, o culpado é cada um e sua respectiva atitude.

Hotel mais famoso de Havana já abrigou uma cúpula da máfia e hospedou meia Hollywood

A máfia americana dos anos 1940 realizou ali uma de suas mais importantes cúpulas: a que inspirou a reunião de “O Chefão 2”. Ava Gardner e Frank Sinatra o escolheram para sua lua-de-mel, prelúdio de um casamento atormentado. Em um de seus salões tomou posse o presidente mais breve da história de Cuba, Manuel Márquez Sterling: seis horas no cargo. E os cantores Juanes e Miguel Bosé explodiram de raiva em um de seus corredores devido às pressões e vigilância a que foram submetidos pela segurança do regime antes do Concerto pela Paz em 2009.

O Hotel Nacional é o maior anfitrião de Havana. Meia Hollywood e chefes de Estado de todo o mundo se hospedaram em seus quartos. Também alguns ídolos e alguns criminosos. Pessoas destinadas ao céu, como Gary Cooper, Buster Keaton ou Johnny Weissmüller, e personagens procedentes do inferno, como Lucky Luciano, Santo Trafficante e Meyer Lansky.

É verdade que todos esses nomes aparecem juntos em um dos painéis fotográficos de hóspedes insignes pendurados em seu Salão da Fama. Na Cuba de nossos dias, o estabelecimento é uma estranha e monumental homenagem ao inimigo no sentido mais amplo do termo: o inimigo pessoal que Fidel Castro teve em Lansky ou Trafficante, este último envolvido na tentativa de assassinar o líder revolucionário que a CIA planejou com apoio da Cosa Nostra; e homenagem também ao mais destacado do inimigo intangível que, para a revolução, é o capitalismo, fonte primordial de gulosas divisas através do turismo.

O Nacional é testemunha de pedra de negociações cruciais, feitos históricos e conflitos de toda índole. Em 1933, três anos depois de sua inauguração, mais de 300 oficiais que haviam servido com o recém-deposto ditador Gerardo Machado se entrincheiraram no hotel. Sob o comando do então coronel Fulgencio Batista, que acabava de tomar o controle do exército, forças de artilharia e inclusive navios da armada atacaram a tiros de canhão os amotinados até conseguir sua rendição. Houve dezenas de baixas de ambos os lados. Os soldados de Batista massacraram vários militares já rendidos e sem armas nos jardins do hotel. O edifício ficou como uma peneira. A reparação durou meses.

Foi no ano seguinte, em 17 de janeiro de 1934, que o Nacional acolheu o juramento de Márquez Sterling como presidente. O ato se realizou às 6:10 da madrugada, segundo as atas oficiais. O objetivo era preencher um vazio de poder naqueles momentos convulsos e de confusão nacional. Por isso Sterling se demitiu às 12 horas desse mesmo dia. O quarto onde pronunciou o juramento, o 412, foi o mesmo em que cinco meses antes havia sido nomeado chefe de Estado Carlos Manuel de Céspedes y Quesada, filho do “pai da pátria cubana”.

Mas o conciliábulo mais mórbido dentre os realizados no Nacional foi aquele que, em dezembro de 1946, reuniu ali a cúpula da máfia americana. Os “capos”, convocados por Lucky Luciano, fecharam o hotel durante uma semana de debates, banquetes e farras. Com a ajuda de Lansky e Trafficante, Luciano tentava reforçar seu poder contra as tentativas de golpe de Vito Genovese.

Entre os artistas que animaram a festa esteve Frank Sinatra. “A Voz” voltou ao hotel cinco anos depois para celebrar sua união com Ava Gardner (novembro de 1951). Conta-se que o casal protagonizou ali uma de suas primeiras brigas. O turbulento matrimônio, salpicado pelas constantes querelas e até várias tentativas de suicídio de Sinatra, duraria seis anos.

Em 1952 o hotel aplicou as normas racistas da época para rejeitar Josephine Baker como hóspede. Embora já tivesse passado por isso outras vezes, a bailarina e cantora se encheram de raiva e reuniram vários cubanos de cor e um advogado para dar fé do acontecido. Em 2000, o governo organizou no próprio hotel um desagravo póstumo à vedete.

Menos cortês mostrou-se o regime com alguns dos cantores que nove anos depois, em setembro de 2009, participaram do Concerto pela Paz de Havana. O colombiano Juanes e o espanhol Miguel Bosé, promotores do evento, estiveram prestes a atirar a toalha por causa das exigências, limitações e constante vigilância que os serviços de segurança lhes impuseram. Seus amargos lamentos ecoaram no Hotel Nacional. Mas afinal não se deixaram intimidar: o concerto se realizou e foi um sucesso.

 

 

Abertas inscrições para o curso de Turismo do Centro Europeu

11/08/2011 10:55

O Centro Europeu, localizado em Curitiba (PR), uma das principais escolas de profissões e idiomas da América Latina, está com as matrículas abertas para o seu tradicional curso de Turismo. Com duração de um ano, o curso ensina o aluno a operar todos os produtos comercializados por uma agência de viagem.

Durante o ano letivo, os alunos irão aprender, por exemplo, a comercializar passagens aéreas nacionais e internacionais; cruzeiros marítimos; gerenciar documentos de viagens; vistos; aluguel de automóveis no exterior; e passes aéreos e de trens. Para facilitar o aprendizado, o Centro Europeu conta com professores experientes e ativos no mercado profissional.
As aulas do curso de Turismo terão início no próximo dia 16 de agosto, com turmas no período da noite (das 19h15 às 22h30), nas segundas e quartas. Na grade disciplinar estão temas como organização de agencias de viagens; legislação; gerenciamento; planejamento estratégico; operadoras; marketing turístico; congressos e eventos; serviços nacionais e internacionais; sistema SABRE; sistema STUR; elaboração de pacotes turísticos; e relacionamentos interpessoais. Mais informações pelo telefone             (41) 3233-6669       ou no site www.centroeuropeu.com.br

Fonte:http://goo.gl/J8Jya

Rede de hotéis Days Inn chega ao Brasil em dezembro, no Espírito Santo

  São Paulo – O primeiro hotel da rede Days Inn será aberto em dezembro na cidade de Linhares (ES), e terá 120 quartos. O segundo hotel da empresa começa a operar em 2014, em Vitória (capital do Espírito Santo), com 131 apartamentos. A intenção é competir diretamente com a bandeira Ibis, da Accor. – A Days Inn garante ser a marca que detém o maior número de hotéis no planeta. São 1.800 estabelecimentos afiliados à rede, dos quais 1.700 estão nos Estados Unidos. A empresa faz parte do grupo americano Wyndham, também o maior do mundo, com mais de 7.000 hotéis em 65 países.

Para fincar bandeira Days Inn no Brasil, a Wyndham fez parceria com a Investhotels. A aliança das duas empresas foi negociada pela BSH International, empresade consultoria do setor. A BSH já havia intermediado a vinda de outras marcas do Grupo Wyndham ao Brasil: em setembro de 2010, a consultoria fez a ponte para a assinatura do contrato entre o grupo hoteleiro americano e a rede mineira Vert, que resultará na abertura de 25 hotéis da bandeira Ramada, voltada para o turismo de negócios, no Brasil.

Propriedade compartilhada

Ainda na área de hotelaria, começou ontem em São Paulo, no hotel InterContinental, a Conferência Sul-americana de Investimentos em Propriedade Compartilhada (Sasoic 2011), realizada pela maior empresa de férias compartilhadas do mundo, a Resort Condominuns International (RCI), juntamente com a HVS Argentina.

O encontro reúne executivos dos setores de propriedade compartilhada, fractional (venda fracionada deimóveis de férias) e time share (tempo compartilhado) visando a debater, avaliar e apresentar o cenário desta atividade tanto no âmbito nacional como no mundial, além de trazer as experiências de outros países neste campo para o conhecimento dos brasileiros.

Maria Carolina Pinheiro, gerente de Novos Negócios da RCI, observou que a adesão dos participantes a este primeiro dia do evento superou amplamente todas as expectativas que a empresa tinha para a ocasião.

“Pela segunda vez consecutiva o Brasil foi escolhido para sediar o encontro, e a cidade de São Paulo, como é um dos maiores emissores de negócios para o mundo, conseguiu reunir, neste primeiro dia, cerca de 170 pessoas envolvidas”, comemorou a gerente.

Fonte: – http://goo.gl/yPRar