Bandeiras Hoteleiras – é ou não interessante

logo 2013 A5 ADMComo tudo na vida, tudo é uma questão de depende, eu jamais faria um investimento de 50 ou 100 milhões sem saber:

1º Quanto isso me rende;

2º Em quanto tempo terei meu Capital de volta;

3º O que preciso para Administrar isso…

Bem esta lista é longa, mas nada que um estudo consciente e competente de avaliação de mercado não possa responder detalhadamente, às vezes os futuros pretensos empresários acham caro pagar 30 ou 40 mil por um serviço consciente e profissional e empatam milhões, poderiam com certeza, economizar muito mais que isso se iniciassem com o Estudo de Viabilidade. A maioria que esquece isso, cinco anos depois se arrependimento matasse já estariam gelados, mas ainda assim mesmo há quem diga: “eu não preciso”.

Depois veem as Administradoras, que em sua maioria nunca entregam o que prometem, e quanto mais famosas são, mais especialistas se tornam em ganhar dinheiro com o que não lhes pertence e assim que o lucro começa a diminuir, ou que o risco aumenta elas entregam o seu prédio e passar bem. Isso é desonesto? Não sei afinal tem tanta gente aceitando que parece um bom negócio, só que é um bom negócio unilateral, e eu nunca vi um contrato que só contemplasse uma das partes, como nestes casos.

Tenho conversado com empresários que por outros afazeres entregaram seus hotéis a Administradoras que são especialistas em Marketing de imagem, vendem gato por lebre e estes dizem constantemente: “Nunca vi e não consigo entender como exigem tanto aporte de capital”. Para nós isso soa como um termo bonito para extorsão, não fazem o que tem que ser feito, têm contratos que os ajudam a ser “incompetentes” em tese, porque as administradoras ganham e se não ganham elas entregam, só quem não ganha é o “empresário, ou alguém assim intitulado” – porque nas escolas por onde andei e nas Grandes biografias de excelentes administradores que conheço diz-se: “Negócio que não dá lucro se liquida”. E esta é a verdade. Então as administradoras ganham e os verdadeiros donos “Dançam”.

É por isso que só entendemos um tipo de contrato de administração, e é o único que entendemos por honesto, já que ele contempla sempre ambas as partes, ou seja, está no sistema Ganha/Ganha. Se Ganha sobre o GOP. Aqui todos ganham.

Nós Administramos qualquer Hotel que aceitarmos administrar com valores entre 15 e 70 mil reais, e quando se chega neste valor eu passo a falar de hotel ou Hotéis que somados ou individualmente tenham acima de 350 UHS. Vivo há 40 anos sob a sombra de um slogan que criei há vinte e quatro:

“Não há hotéis que não deem lucro, há hotéis mal administrados”.

Então se tem um ou mais hotéis na mão de uma administradora e esta precisa de aportes constantes de capital das duas uma ou só tem um ganhando, ou a Administradora está perdendo o seu dinheiro, assim fica fácil.

Administradora competente recebe os seus proventos sobre os resultados do GOP. Ou não há GOP não recebe. A Taxa fixa de que falei acima é uma taxa que suporta a parte comercial sem a qual não há como lançar o seu empreendimento, mas é bom que isso seja feito também por um ou vários profissionais qualificados, e eu sempre digo se você não sabe fazer, como pode mandar alguém fazer ou contestar o que um possível dito profissional diz estar correto?

O Profissional seja de que ramo for quando administrador precisa primar pela transparência de suas atitudes, e o grande executivo é aquele que por qualificar pessoas ao seu redor pode a qualquer momento se tornar dispensável.

Pense bem, os administradores de seu Hotel honram completamente as promessas da propaganda inicial? Se não, que tal  conversar? Lembrem-se:

Não há hotéis que não deem Lucro. E ele é muito maior do que os leigos e às vezes os nem tão leigos imaginam. O Quadro abaixo é de um Hotel existente, não identifica o titular, é um consultado e acreditem dá para se fazer muito melhor:

Bandeiras

Vamos incrementar os cálculos deste quadro, partindo do princípio que este hotel fosse administrado por nós e o proprietário recebe 30% do GOP. Teríamos então:   GOP= 2.073.110,00-653.191,18=1.419.918,82

Valor do GOP1.419.918,82  remos assim (1.419.918,82 X 30%=425.975,65) Em um mês onde a operação do empreendimento custou 653.191,18 o Proprietário teve seu capital de volta e mais 425.975,65 ou seja 65,22% de lucro sobre o investimento (custo de operação) do mês. Como nossas taxas de Administração variam entre 22 e 35% vamos para uma média 28% hipotética.

Administração pressupõe transparência:

Valor do GOP 1.419.918,82
Proprietários 425.975,65
Administradora 397.577,27
Caixa 596.365,90

“Vamos esclarecer algo que pode ter a esta altura passado despercebido, este hotel é administrado pelos proprietários, os cálculos que coloco preveem a hipótese de ser uma administração nossa.”

Alguém vai me perguntar: e esse 596 mil que sobraram?  Não sobraram, vamos administrá-los já que eu sei que neste caso os custos mensais, não incluem férias, 13º e respectivos encargos assim como não fazem provisionamento para trocas necessárias temporárias de roupas de cama mesa e Banho – minibares –colchões – aparelhos de ar condicionados, etc.  Mas assim mesmo esses 596.365,90 valor que varia e vai acumulando, a cada um a três anos é uma questão a convencionar serão entregues aos proprietários com as respectivas demonstrações.

Como veem a Boa Administração Hoteleira é um grande negócio, a pergunta é: Quem está Administrando seu empreendimento tem estes resultados? Este resultado depende no caso de um Hotel deste tamanho da sua localização. Pense, sempre podemos conversar.

 Pense, sempre podemos conversar.

E as tarifas flexíveis?

logo branco 1Tarifas flexíveis, não é aquilo que comumente se vê por aí um exemplo muito encontrado: de segunda a Quinta X de Sexta a Domingo Y.

Ou determinados meses um preço e em outros outro, ou ambas as coisas, mas de uma forma geral é a isso que chamam tarifas flexíveis ou flutuantes. Precisamos entender que muitas das vezes além de estarem dando o nome errado a este tipo de tarifa, se colocam na ilegalidade e atraem todo o tipo de fiscalização e reportagem negativa para o nosso meio.

Vamos entender primeiro com se determina a tarifa, você encontra no curso de “Revenue Management” do IGH e também no livro que é vendido separadamente ou dado como material do curso a quem finaliza o mesmo, mas é um processo que embora simples exige conhecimentos e algumas horas de cálculos, lembre-se o simples nem sempre é fácil, e este é um dos casos, mas se soubermos, somar – subtrair – multiplicar e dividir, depois fica fácil é só saber com que número fazer o que.

Tarifas determinadas, temos então o valor mínimo que consideramos comerciável, o máximo é a tarifa balcão, nunca podemos passar dela, é Lei.

A tarifa flutuante ou flexível pode permitir que num mesmo dia você cobre o mínimo possível e o valor Balcão, ou seja, tarifa flutuante não varia por dia da semana ou mês do ano mas por minuto se for o caso. Precisamos ter o domínio de como isso funciona para aplicar sem problemas, nós na Águia Consultoria e SN Hotelaria fazemos isso há mais de 40 anos – e Fundamos o IGHInstituto de Gestão Hoteleira, exatamente para qualificá-lo para estes assuntos de alta gestão.

Quando temos uma política de tarifas bem fundamentada e o hotel devidamente estruturado, o meio académico recomenda o seguinte critério tarifário:

Até 50% de Occ. Todas as tarifas disponíveis
De 51 a 70% Tarifa balcão menos 2 de maior desconto
De 71 a 100% Tarifa balcão contratos e Autorização da GG

Nós após ministrarmos o curso de Revenue Management onde ensinamos a preparar o empreendimento para esta prática, recomendamos que a flexibilidade de tarifas siga o um critério mais agressivo o que otimiza os resultados finais: 

Até 35% de Occ Todas as tarifas estão disponíveis
De 35 a 50% Fecha algumas de maior desconto
De 51 a 70% Fica tarifa Balcão e mais uma
De 70% a 100% Tarifa Balcão ou por determinação gerencial.

 

Em uma primeira instância as tarifas variam por oscilação de demanda, o que não pode nem deve ser uma regra, mas é a que mais se usa. Mas essa demanda você vai entender que, em alguns lugares varia uma dúzia de vezes das 13 horas até às 24 – vamos aprender a aproveitar as oportunidades e otimizá-las. – O Livro que será entregue com o curso de técnica de vendas aplicadas está disponível.

http://goo.gl/BjeZjH
http://goo.gl/BjeZjH

Vou Tentar de um Jeito Nosso aqui…

 

Águia Consultoria Consultoria Hoteleira Profissional Especializada
Águia Consultoria
Consultoria Hoteleira Profissional Especializada

Ou vouvou… Isto é algo que ouvimos muito com pessoas que nos procuram quando bate aquela “pré-ocupação” o normal da maioria dos mortais e se fixarem nela, e esta fixação vem de várias formas, não tenho dinheiro para isto, aquilo não dá para fazer, e agora preciso demitir, mas não tenho como pagar a quitação. E agora passamos a ter duas situações:

  • O não reconhecer que a sua situação de hoje, existe em função de decisões tomadas no passado, logo se você chegou onde está é pouco provável que consiga sair já que nem percebeu que estava caminhando para o desastre.

 

  • Como você se fixa e concentra suas ideias no que não tem, vai ter na sequência exatamente mais disso, ou seja, está se enterrando sozinho teimando em arranjar culpados para uma situação onde o único culpado é Você.

 

Precisamos entender que é muito difícil para nós, não impossível, separar o que nos preocupa daquilo que precisamos fazer. Então aí entra a pessoa ou pessoas que podem e devem ajudar.  Vem com isso a exclamação, mas é muito caro!!!! Quanto vale o seu negócio? Porque a pessoa de quem falo, o Consultor Consciente é a diferença entre seu lucro e a falência. Ou uma rentabilidade como tem que ser, e a continuação da mediocridade.

Aliado a isso existem consultorias como a nossa que para contratos de médio prazo isso falamos em um Ano, a parte expressiva da remuneração é sobre os lucros, se no momento a empresa já não tem dinheiro para honrar os compromissos é obvio que irá pagar sobre valores que lhe permitiram respirar. E nós honramos o slogan há Anos.

“Não há hotéis que não deem lucro, há hotéis mal administrados”.

Acredite a consultoria consciente é sempre vantajosa, você sair “atrás” fazer mais do que já vinha fazendo só vai lhe trazer mais do resultado que já vem tendo.

Fica aqui o nosso alerta, quase sempre nossa experiência nos diz que a solução, por tão simples não é percebida por quem está envolvido no dia a dia do problema.

O Carro na “frente dos bois”

Os curso e treinamentos da Águia Consultoria e SN hotelaria, Ministrados por quem escreve sobre o assunto.
Os curso e treinamentos da Águia Consultoria e SN hotelaria, Ministrados por quem escreve sobre o assunto.

Acontece em todos os setores, mas ultimamente e até pelas colocações errôneas que vêm sendo usadas à bola da vez é a hotelaria.

Com o aparecimento dos “especialistas” em Revenue Management, que são realmente especialistas em áreas comerciais e em muitos casos são realmente bons profissionais de vendas levam suas técnicas apuradas a redes e ou unidades que se beneficiam dos conhecimentos e dos resultados iniciais que estes proporcionam.

No entanto precisamos entender, Revenue Management é:

A Arte do posicionamento estratégico, maximizando lucros com base nas previsões de demanda otimizando resultados fundamentados em cálculos econômicos e financeiros e de disponibilidade, que deve ser adotado por inteiro em todo ou qualquer hotel, Rede Hoteleira ou empresa onde ele possa ser implementado. Este processo é gradual e leva a cada vez melhores resultados quando devidamente implementado.

Tudo tem a forma correta de se fazer, a acredite se você tem um Hotel que precisa rentabilidade sustentável não é um departamento comercial ou um “revenue manager” que vai fazer isso por sua empresa, mas sim o REVENUE MANAGEMENT (trata-se de uma Filosofia de Gestão).

Por outro lado a implementação de sistemas pela metade, como temos visto apenas com os resultados comerciais, invariavelmente ele leva exatamente ao que se refere o artigo de Cezar Nogales na revista hotéis com o título: “Tragédia Hoteleira quando a ocupação sobe e a satisfação do hospede cai”.

Há pouco tempo fui procurado por uma empresa que apresentou um problema muito sério, e eu achei extraordinário as pessoas envolvidas terem essa noção; eles fecham o mês com ocupação de 95% e isso é uma constante há mais de ano, a cidade ganha novos empreendimentos, mais modernos mais funcionais e eles não precisam nem tomar conhecimento têm clientes FIÉIS eis o grande segredo a fidelização do cliente. Eles tinham noção de que o dia em que a ocupação começar a cair em menos de 6 meses terão de fechar, e embora isto seja uma força de expressão está muito perto da realidade.

Não foi uma nem duas vezes que rentabilizamos hotéis em mais de 50% em um ano, sem que a ocupação subisse mais de 12 pontos percentuais, e ou tivéssemos demitido pessoas.

O Revenue Management por sistema inteligente e analítico que é tem um processo completo e tudo o que se faz baseado nele faz com que todo o empreendimento seja rentabilizado de forma sustentável. E área comercial faz parte? Sim, só que o RM é muito mais econômico e analítico que comercial, porém o comercial como tudo nas empresas é sustentado por análises e não só, mas também de mercado externo.

Em nossos cursos temos conseguido que os Gestores que participam repassem essa ideia para Diretores e Gerentes de outras empresas passando assim a termos um fluxo maior de pessoas que possa realmente se beneficiar e fazer acontecer com este realmente rentável e sustentável sistema. Envie seus gerentes comerciais, mas não se esqueça dos gerentes Gerais e se tiver uma diretoria atuante, seja bem vindo, pois vamos lhe dar bases para “fazer acontecer”.

Estamos com os próximos cursos – dia 18 e 19/10 em São Paulo – 1 e 2/11 em Porto Alegre – 04 e 05/11 em Foz do Iguaçu – 07 e 08/11 em Fortaleza – 22 e 23 em Belo Horizonte e 25 e 26 em Maceió. Mais informações: consultoria@institutodegestaohoteleira.com.br

Revenue Management e Algumas Peculiaridades

Entramos no segundo semestre, daqui a uns dias os empresários dos mais variados setores começam a se preocupar com as previsões do próximo ano e a verificação das metas do ano em curso. E na hotelaria não é diferente, em que pesem os transtornos causados.

Muitas vezes param-se trabalhos, inicia-se a convocação de gerentes e perdem-se dias em reuniões onde se ajustam pontos e por vezes descobrimos que não chegamos a metas preestabelecidas e o ano não vai fechar como havíamos planejado. Está então na hora de verificar o que aconteceu com as metas previamente traçadas e então verificamos:

Com que precisão acertamos nossas previsões

Uma das habilidades mais importantes quando se pratica a gestão fundamentada no Revenue Management, é a capacidade de fazer a previsão de demanda (forecast), e corrigir desvios durante o percurso, nesta métrica tudo fica mais simples, rápido preciso e sem grandes defasagens, ou seja, nesta filosofia de gestão não se espera para fazer correções ela nos permite estar sempre atualizando, portanto atualizados. É claro que demanda um conhecimento disseminado por toda a equipe que com pequenas e pontuais tomadas de decisão levam todo o empreendimento ou organização para metas previamente traçadas. É tão importante avaliar a precisão das previsões feitas, que não vamos esperar os seis meses ou três ou nem mesmo um inteiro para que se tomem decisões.

Isso se faz comparando a previsão inicial feita em alguns casos com um ano de antecedência x a ocupação e rentabilidade real. Vamos entender que o importante para o investidor ou o empresário é a rentabilidade do empreendimento. Por vezes receita não tem o menor interesse, interessa RENTABILIZAÇÃO.

Vamos entender que já existem hotéis que possuem um sistema automatizado de Revenue Management, no qual estas previsões são feitas diariamente e, no entanto esclarecemos que este tipo de investimento é realmente uma despesa, pois podemos perfeitamente ter estes dados no Excel ou em alguns sistemas que já venham sendo usados, porém dependendo do tamanho do empreendimento o sistema totalmente manual é absolutamente viável.

Os hotéis, que fazem a previsão de demanda sem automação e com a devida antecedência, devem mesmo assim comparar a primeira previsão mensal feita com a ocupação real, não só para o bom andamento do empreendimento, como para a manutenção da operação com resultados desejados, além de se tornar mais simples e rápido visualizar a ampliação e otimização futura.

Á especialistas que sugerem uma diferença entre previsão x real na casa dos 5 a 10% conforme a experiência que as gestões tenham nesta prática. Podemos, no entanto garantir que esta variação em hotelaria não passa dos 2,5 a 5% e por experiência empresas há em que a mesma não passa da casa dos 1,5% o caso dos frigoríficos e fabricas de Massas e biscoitos.

Devemos alertar para outro detalhe de suma importância o (forecast) deve sempre ser o mais realista, possível, deve ser elaborado com base nas condições reais de mercado. Não queremos com isto dizer que não existam metas pré-estabelecidas, mas estas devem ser tangíveis e a curto médio e longo prazo para não nos desviarmos do foco inicial.

O Revenue Management e seu impacto nos negócios vamos medir resultados

Quando um empreendimento opta pela gestão fundamentada no Revenue Management, todo o empreendimento é impactado, uma vez que o “negócio” como um todo passa a encarado e analisado por uma nova ótica.

Vamos para o exemplo que mais impacto tem causado ultimamente, a variação de preços em função de um determinado evento: como o hotel deixa de ter preços fixos esta variação pode e deve se dar cada vez em menores espaços de tempo como isso funciona com a previsão de demanda, em determinado momento funciona apenas e tão somente com a demanda, isto quer dizer que num mesmo dia podemos ter um apartamento vendido por R$: 300,00 e outro por 1.500,00, o que não causa espanto quando em épocas de grande procura todos estão sendo vendidos a 1.500,00.

O caso de grupos é um bom termos também o exemplo dos grupos com a gestão fundamentada no Revenue Management todos aprendem a fazer determinados cálculos e entendem principalmente quanto determinado grupo custa, e qual a vantagem de não sacrificar tanto a sua diária. Aprendemos assim a dizer não, com a certeza de quem entendeu que 100% não é o melhor resultado possível. Como vimos anteriormente o que realmente importa é a rentabilidade. Temos o reverso da medalha, onde é possível flexibilizar preço para o cliente faz suas negociações com maior antecedência. Normalmente dizemos que este é o cliente mais sensível a preços, pois se antecipa e programa.

Quando disse que numa filosofia de Revenue Management bem implementada todas as áreas são impactadas, refiro-me a todo o empreendimento, os departamentos financeiros e de controles, os departamentos comerciais e todos os que se envolvem com vendas, os departamentos de eventos, as áreas de F&B além de todo o resto do hotel, pois que invariavelmente haverá uma muito maior movimentação.

Vamos mensurar resultados, hoje está muito difundido o RevPAR, (Revenue per availble room), porém a maioria dos indicadores nos mostra a evolução ou não de uma gestão. Há índices pouco conhecidos e cálculos um pouco mais complexos principalmente quando nos referimos à área de eventos de F&B, nesta o que menos importa, por exemplo, não é o valor médio do couvert, pois temos espaços para otimizar e são estes que precisamos ter em mente, assim saberemos qual o verdadeiro interesse em sua manutenção ou não, e aqui preferimos o RevPASH.

Por outro lado hoje, talvez a sigla que mais me ajude a definir e mensurar a rentabilidade é o ProfPAR.

Como em todo e qualquer sistema há passos a seguir, e o de Revenue Management não é diferente há uma sequência de passos que devemos seguir para tirar do sistema a maior eficiência.

A grande vantagem de se recorrer a um especialista familiarizado com este tipo de filosofia de gestão é que: além do curso de formação a todo o empreendimento o gestor pode iniciar o sistema em um ponto mais avançado, o que não quer dizer que não há necessidade dos outros passos, mas eles podem e devem vir sendo feitos paralelamente. Porém, este “pulo” recomendamos que esteja acompanhado por um gestor experiente na filosofia de Revenue Management.

Nunca se esqueçam, Revenue Management voltado para a parte comercial dá resultado a curto prazo, a médio e longo mostra-se digno de apreeção. Isso é assunto para outro artigo. Aguardem.

blogs1
Nós Ensinamos assessoramos e treinamos todo o seu pessoal para suprir as reais necessidades de sua Empresa e manter em alta a Rentabilidade de seu Negócio.