Porque você investe e nunca vê seus dividendos?

Há no Brasil Administradoras que não distribuem dividendos há mais de dois anos, sabemos que: “não há hotéis que não deem lucro, há hotéis mal administrados”. Então porque não há dividendos por má gestão ou por contratos que só beneficiam um dos lados?

Jamais afirmaria que as duas, pelos menos as duas maiores administradoras do Brasil são incompetentes, eu conheço um pouco da história delas, e sei que o que não lhes falta é competência, mas então porque não distribuem dividendos? Simples, não sobra, mas isso é altamente questionável, se não sobra porque eles continuam pedindo aportes de capital quando na verdade vão continuar não distribuindo? Pior, porque vc dá em vez de trocar por uma Bandeira que só atua no sistema GANHA/GANHA.

Porque eles não fazem contratos como o da Áquia Hotéis, onde só recebemos se distribuímos dividendos se não há GOP a Áquia Administradora não recebe não achamos honesto receber usando a estrutura dos investidores e em troca apresentar relatórios cheios de números bonitos, mas que são altamente contestáveis e não suportariam uma auditoria feita por um Administrador da Áquia hotéis, ou por qualquer outro que conheça gestão e finanças hoteleiras.

A Áquia Hotéis administra seu empreendimento sem malabarismos numéricos, sem comissões sobre compras e outros serviços otimizando assim todos os resultados já que no final vai repartir dividendos com os seus investidores.

Conhecemos casos de administradoras que para completar o pool, ofereceram 1% ao mês a alguns dos investidores, e pasmem cumpriram, mas como o contrato prevê ao final de um ano apareceram “despesas necessárias” que levaram dos incautos tudo o que receberam e os recebimentos dos anos seguintes. Porque isso não acontece com a Áquia Hotéis? Simples, nosso contrato é vinculado a um planejamento anual onde consta tudo o que precisamos onde vão ser efetuados investimentos como e porquê e os valores previamente estimados. Sim isso é possível nós não somos mágicos somos administradores Hoteleiros, é diferente.

Pense bem onde está colocando seu investimento e se o resultado é satisfatório por favor continue, caso necessite mais esclarecimentos nossos profissionais estão ao vosso inteiro dispor.

NÓS DIAGNOSTICAMOS SEU HOTEL.

BLOGS 2

VENTURA & NOGALES ASSOCIADOS

Escrito por: Mário Cezar Nogales.

O primeiro passo de qualquer consultor sério, para fazer ou realizar qualquer melhoria em seu meio de hospedagem, sem duvidas é o Diagnóstico Geral de seu Meio de Hospedagem.

Obviamente, assim como há os remédios conhecidos, há também os genéricos  e cada um dá o resultado de acordo com a qualidade esperada.

A confecção de um diagnóstico se dá como um check-up geral médico, nos hotéis vamos precisar medir, observar, analisar cada ponto e assim poder “receitar” o “remédio” correto.

Há vários formatos e estilos para se fazer este diagnóstico, aqui vou demonstrar como fazemos, devo enfatizar que este diagnóstico não leva algumas horas, leva alguns dias.

Diagnóstico Operacional

Como seu hospede é atendido?

O primeiro passo é o de visualizar como o Senhor Hospede é atendido, para isto, checamos o site, ligamos para o hotel, fazemos reservas e nos hospedamos como qualquer outro hospede, desta maneira, podemos observar como um hospede é atendido em todos os serviços do hotel sem que os colaboradores saibam que estamos a serviço do hotel, muitos profissionais batizaram isto de Hospede Oculto, e colocam qualquer pessoa para fazê-lo, contudo, um profissional do ramo enxerga pontos que um hospede comum só percebe quando há problemas.
Como funcionam os seus setores?
Após a primeira analise, partimos para a “maquina”, por assim dizer, entramos em todos os setores operacionais e em todos os turnos, afinal o hotel funciona 24 horas por dia, assim acompanhamos os serviços que cada função deve prestar, nesta parte analisamos as técnicas utilizadas pelos profissionais envolvidos em cada setor, como os setores se organizam e quais são os pontos de entrave nos serviços e o nível de solução de problemas.
Também analisamos o tempo de produção, um exemplo disto é o acompanhamento do serviço da camareira analisando e verificando o que a leva realizar ações e quais as medidas que toma em caso de pontos de duvidas, outro exemplo é o funcionamento e controle do setor de alimentos & bebidas (o que em geral é considerado como vilão da historia), devido às suas peculiaridades, técnicas e obrigações.
Diagnóstico Comercial
Analise Interna
Um ponto muito importante em qualquer negócio é o de saber como estão as suas relações comerciais, quais são as suas Top Accounts, os perfis de seus hospedes e quais são os seus meios de distribuição e canais existentes, quais são as suas tarifas e sazonalidades e porque as tarifas são praticadas assim.
Analise externa
Conhecer quem são seus concorrentes e qual é o seu mercado de fato é mais do que uma obrigação, contudo, em geral, a maioria dos gestores apenas conhecem a sua quadra e pouco relacionamento tem com o trend ao seu redor, muitas vezes há concorrentes de baixa qualidade que estão interferindo em sua ocupação.
Diagnostico Administrativo
Análise dos Custos
Como se não fosse obrigatório  muitos profissionais do ramo se esquecem de analisar como se dão os custos dos hotel, qual o seu ponto de equilíbrio e como se relacionam os seus cargos e salários, muitos proprietários sabem quanto custa seu hotel por osmose, pois estão a muito tempo no mercado, contudo, este setor deve ser muito bem regrado e deve interagir de forma correta com operações.
Contabilidade
Por várias vezes identificamos hotéis que possuem 2 ou até mesmo 3 notas fiscais diferentes, e pior, emitem todas as notas dos hospedes em curso no ultimo dia do mês, não somos contadores, contudo, conhecemos o funcionamento legal e tributário uma vez que pesquisamos também como é o trato com o município.
Outras informações administrativo/contábil em muitas vezes são apresentadas de forma equivocada, não estão erradas, contudo atrapalham a correta visualização dos resultados de cada setor. A organização correta de seu plano de contas para que sejam atribuídos os custos corretos em cada setor é de suma importância na tomada de decisões estratégicas de qualquer empresa
Diagnóstico Estratégico
Como se dão as relações entre o hospede e o hotel, qual a missão deste empreendimento, porque ele foi concebido, qual o relacionamento patrão empregado, são questões muito importantes a serem respondidas, pois, dependendo de como o proprietário/investidor está inserido no hotel e principalmente como são as relações entre os sócios com certeza influenciam toda a operação do hotel.
Ambiente Interno
Saber e conhecer como são as relações dos colaboradores e seu nível de satisfação dentro de seu meio de hospedagem é vital para o nível de qualidade da prestação de serviços e hospitalidade, saber se há “feudos” instalados e o funcionamento da “rádio peão” são questões importantes de analises para qualquer medida a ser tomada.
Em resumo é isto, não há como “receitar o remédio” sem fazer as devidas análises; obviamente o consultado deve receber um relatório de seu diagnostico com os detalhes encontrados, quais são seus pontos fortes e quais são seus pontos fracos, as medidas que podem ser tomadas e as medidas que devem ser adotadas, a partir dai, “tomar o remédio” é por conta do hotel, o que ele pode fazer contratando os serviços do mesmo consultor ou de outros profissionais ponto a ponto de acordo com a sua capacidade de investimento.
Em geral, nossos relatórios de diagnósticos contem mais de 100 páginas e são encadernados em brochura, logicamente há o arquivo digital, contudo, como apreciamos a boa literatura, o relatório físico pode e deve fazer parte da historia de seu meio de hospedagem e assim avaliar o seu desempenho e crescimento.
Como qualquer médico, nós consultores indicamos que seja feito o diagnostico de operações a cada 6 meses e em caso de duvida, Contrate um Consultor, com certeza seu hotel vai melhorar de desempenho e rendimentos.

Saiba mais sobre Ventura e Nogales Associados

Comentando O REVENUE MANAGEMENT

Realmente eu gostei do artigo: http://twixar.com/Zky09TqVEY a pessoa que escreve neste blog sabe o que diz, mas vamos complicar um pouquinho as coisas:

O artigo que compartilho é interessante, sem dúvida, só que para mim hotelaria, preços, vendas, custos e otimização de um todo é bem mais complexa, mas se formos olhar de uma forma simplista, eu traduziria assim: Trabalhando a médio prazo qual o lucro que eu pretendo ter?  isto conhecido (se não há uma meta não há um caminho) vamos determinar sim, após estudo criterioso de custos o respectivo preço de venda, neste está com certeza embutido o lucro que pretendemos ter e isto não é imediatismo é empresario com programações e planejamento a curto médio e longo prazo.

Isto é feito e forma que tenha a menor variação possível no mais longo tempo. O que vai variar aqui são as promoções que vão normalmente dar ao Sr. Hospede a noção de GRANDE vantagem, o que nem sempre será uma verdade, mas precisa sempre aparecer como tal independentemente das contas que “Ele” venha a fazer. Há ainda os custos de outros departamentos, alguns os quais precisam ser encarados até mesmo e porque não como uma empresa independente e como tal dar lucro. Faço parte da classe de administrador hoteleiro que AFIRMA: “NÃO HÁ HOTEL QUE NÃO DÊ LUCRO, HÁ ADMINISTRAÇÕES HOTELEIRAS MAL FOCADAS” Ao longo dos meus mais de 30 anos de experiência já me foi dada oportunidade de comprovar isso, até em unidades que, ao assumir, achei que seria pura pera de tempo. “Postarei na sequênciauma experiência que só é possíevel com RM.”

Ainda na simplicidade, já que um gerente de hotel que se preze sabe isto no dia  dia, um departamento de Revenue precisa saber exatamente quantos apartamentos precisam estar ocupados para que eu possa “abrir” diariamente, como eu costumo dizer o Gerente Hoteleiro, precisa estar alerta e fazer com que o seu cliente sempre volte, mais que isso precisa fazer com que ele traga e recomende seus Amigos esta é a melhor e mais barata as propagandas, e além de tudo nos mantém ativos e alerta para os mínimos detalhes.

Além do mais, restaurantes, coffe chops, fast foods, e outros departamentos ligados à área de alimentos e bebidas ou não, são empresas que podem ou não ser encontradas fora dos hotéis, estas, se estão abertas (e hoje encontramos bons restaurantes e afins em muitos lugares e até mesmo em Shopings onde os alugueis são caros) é porque dão lucro, então porque eu preciso sobrecarregar departamentos em vez de tornar minhas áreas lucrativas? Entenderam agora porque eu falo da complexidade do REVENUE? É preciso saber e saber não só de Administração mas de comtabilidade e economia hoteleira para que a coisa possa funcionar bem.——

Um Pouco de história de vida

Eu gerenciava hotéis grandes, no meu entender médios já que tinham menos de 250 (UH). Fui sondado por um grupo, que havia construído um hotelzinho de 40 e poucos apartamentos num lugar onde ninguém passa, vc vai e tem que voltar.

A  vida dá muitas voltas o meu contrato estava terminando e um grande grupo empresarial de Curitiba estava iniciando investimentos no ramo hoteleiro e queria que eu montasse os hotéis para eles, eu fui. Também com contrato e atribuições específicas. A empresa que tinha o hotel que tinha sido um capricho de menino rico e de onde nõ saía em um centavo, não me tinha esquecido e uns 10 dias antes de vencer meu contrato veio para mim com um contrato m branco para eu preencher e ir gerenciar o hotel deles.

Achei que estava na hora de me livrar “daquele encosto” e preenchi o contrato com um valor que ninguém em sã consciência iria pagar, pensei “agora somem”. Ledo engano, aceitaram e eu não tive outra saída.

Fui, com o seguinte propósito: 1º mês analiso, 2º mudo o que precisar 3º mostro como se faz e vou embora. Aceitaram, só que eu esqueci de ler e eles haviam feito um contrato por um ano(bem feito, que mana não ler). Não discuti e sentei com els para ver o que queriam, o prédio tinha um financiamento total pelo BNES, o que eles reconheceram ser problema do grupo e não da unidade, então o grupo pagaria e ao final de 4 meses e não pedia mais dinheiro para gerir o hotel. Achei difícil mas encarei, afinal era um desafio e já alí estava. Bem vamos encurtar, eu Administrava e mandava as contas para a Matriz em SP já que eles para eu Gerir afastaram o Sócio do PR era imposição minha.

No quarto Mês eu mandei as contas do Hotel, e devolvi o cheque que eles me mandaram para pagamento do BNDES. ou seja eu não preisava de ninguém para fazer o empreendimento andar e dar lucro….. e isso foi assim durante um ano, o difícil foi deixá-los…… Há a ocupação não passava de 13% e nõ era viável com o investimento existente aumentar isso.

NÃO NÃO HÁ HOTEL QUE NÃO DÊ LUCRO, HÁ HOTÉIS, EM QUE OS ADMINISTRADORES NÃO CONSEGUEM ENTENDER oO QUE FAZEM ALÍ MAS SE VAI FAZER SEJA O MELHOR.

SUAS LIMITAÇÕES e QUEREM QUE ELES SIRVAM PARA O QUE INFELIZMENTE NÃO FORAM PROJETADOS>