A expressão da desolação.

Compreendemos que o Brasil tem algumas Administradoras hoteleiras, as chamadas bandeiras. Já uma vez escrevi sobre o assunto, mas ele merece voltar pois em momentos de crise até onde estas são interessantes para os investidores? Normalmente as cobranças efetuadas por estas bandeiras têm segundo uma consultoria especializada e seguinte composição:

  • Taxa de remuneração da Marca – 4 a 5% do faturamento geral bruto
  • Central de reservas pode ser cobrado com valor fixo por reserva ou uma taxa sobre a receita de Hospedagem (só diárias) que varia entre 1 e 1,5%.
  • Como se isso fosse pouco, 5% sobre o faturamento geral bruto já é absurdo
  • Tem o incentivo à Administração por meio de uma remuneração sobre o GOP e este varia entre 10 a 15%.

Gerenciei Hotéis muitos anos e sempre recebi sobre resultados e na composição havia uma taxa sobre o Faturamento Geral Bruto, quando na negociação um empresário me oferecia mais de 3% sobre este valor eu passava a tratar tudo com uma certa desconfiança, pois entendia de imediato que estava tratando com alguém que pouco ou nada entendia de números. Algumas vezes até acabei acertando com empresas assim, mas nunca aceitei mais de 3% do FGB, (Faturamento Geral Bruto), para função de gerente Geral, isso normalmente dá um resultado final insustentável.

Cuidado ainda com algumas taxas, sempre favoráveis à Administradora que podem aparecer nas entrelinhas dos contratos.

Como se isso não fosse suficiente o investidor é obrigado a aguentar a Administradora, esta nunca tem prejuízo já que as cláusulas contratuais garantem seus honorários, porém há hoje administradoras que não distribuem dividendos há 3 anos, e o pior os investidores não podem se livrar delas ou trocar por outras já que há no contrato cláusulas que criam uma multa para o investidor já lesado. Às vezes me dá vontade de dizer: “Bem feito”. Pois há no mercado administradoras que trabalham de forma com a qual concordamos muito mais.

Áquia Hotéis trabalha com uma comissão variável sobre o GOP, e um valor sobre apartamento ocupado este normalmente menor que o salário de um verdadeiro gerente Geral, além de que nos primeiros 60 dias só recebe o valor referente ao valor por apartamento, e há dois motivos para isso:

  1. Normalmente nos dias atuais encontramos empreendimentos com péssimas e perdulárias gestões já que a Administradora anterior não precisava dar lucro, os seus valores estavam garantidos em contrato. Então precisamos de uns dias para dar novo rumo ao empreendimento.
  2. Se partirmos do princípio que a administração era boa e dava bons resultados os resultados dos nossos primeiros 60 dias não foram provocados por nós e sim pela administradora anterior, então não há porque ganhar sobre eles.

Além disso nossos contratos preveem que em caso de resultado negativo em que os investidores precisem aportar capital, a Áquia Hotéis entra com a parte igual ao percentual que deveria receber. Ou seja, é um contrato num modelo de absoluto ganha/ganha.

Então quando alguém se queixa para mim da administradora que escolheu, e que só ela está ganhando só podemos dizer: Bem feito, somos sempre responsáveis pelas escolhas que fazemos.

Pense antes de entregar seu empreendimento apenas a um nome muito conhecido, ele não está nem aí para o investidor, só quer o empreendimento.

 

Revenue Management e Algumas Peculiaridades

Cabeçario bg

Falávamos de (Budget), o gestor fundamentado no Revenue Management leva estes dados pelo menos cinco anos para frente, isso facilita muito toda uma visão de mercado e adianta possíveis correções, muitas vezes não precisando rever as atuais, pois uma vez que estas foram futuras e vieram sempre sofrendo correções necessárias, o (POA) fechado numa gaveta pode jogar  no lixo todo o seu negócio. Com o tempo e esta prática, acabamos tendo variações entre o estimado e o real que vão de 1,5 a 3%.

Empresas há em que esta prática nos leva a variações entre 0,5 e 1,5% – nomeadamente e por experiência os frigoríficos, onde implantei e acompanhei dois anos um sistema de Revenue Management.

Com esta prática implementada, o grande beneficiário seguinte é o departamento comercial, sabemos o que temos o que queremos e onde queremos chegar, como chegar lá é uma questão de dar diretrizes corretas às pessoas envolvidas e assim, incrementar rentabilidade.

Não vamos esquecer aqui que o (Budget) ou previsão futura de receitas e despesas deve ser feita por cada gerente e esta adicionada e compilada numa planilha geral final, ou seja, todo o gerente de departamento tem a sua responsabilidade por igual na gestão de seu respectivo departamento em particular e do empreendimento como um todo.

Num processo de gestão invariavelmente complexo e de resultados relativamente rápidos, todo o nosso movimento vai crescer e isso trazer problemas ou não. Trás problemas, quando o RM está focado apenas e erroneamente na parte comercial variação de preços ritmo, fluxo e distribuição de reservas, e precificação, portanto não totalmente fundamentado, já que Revenue management é um complexo e eficiente sistema econômico de gestão, só para relembrar, pois já publiquei isso em outras postagens, dizemos muitas vezes que o Revenue management não é para todos, pois ele é essencialmente:

UMA CULTURA

   Revenue Management é: uma filosofia de Gestão

   Revenue Management é: estatística e matemática

   Revenue Management é: uma prática diária e continua

   Revenue Management é: muito analítico e pouco comercial

   Revenue Management é: pragmatismo e assertividade

   Revenue Management é por si só o inicio e o fim de toda a Política / Modelo de negócio Hoteleiro e como tudo tem um início, mas neste caso não tem fim.

Quando nos restringimos à parte comercial e seus números, os resultados veem, o movimento aumenta, mas se o restante do empreendimento não for preparado para suportá-lo, então em pouco tempo se entra num processo decadente, os seus novos cliente/hospedes, em vez de saírem e vender o empreendimento calam-se ou falam mal, e começamos assim a ter em função do RM apenas comercial um movimento sempre renovado, ou seja, não conseguimos fidelizar hospedes e fica claro o que pode e vai acontecer, não pode aumentar receitas sem conhecer profundamente o impacto que isso tem em toda a empresa. O resultado não vai rentabilizar real e sustentavelmente, antes pelo contrário.

Isto nunca acontece num sistema consciente de Revenue Management bem implementado. Já que seu implemento envolve toda a Unidade.

Gosto de perguntar aos diversos gestores com quem converso e não só da área Hoteleira: quanto custa para você abrir a sua porta todos os dias de manhã? E quando a resposta é: “bem sabe o que é que é”, e isto infelizmente é na maioria das vezes, ficamos com um grande problema (porque quer dizer que não sabem). E a falta de uma gestão bem fundamentada é gritante.

Uma vez alguém me disse 50% de ocupação. Bem não vamos nem comentar, hoje nas um pouco mais complexas gestões de condo hotéis, há uma taxa de ocupação mais alta necessária para o ponto de equilíbrio, só que esta por si só não define nada já que minha 2ª pergunta ao interpelado é automática, 50% de ocupação com que Diária Média?

Como vimos a implementação de um sistema consciente implica em todo o comprometimento do pessoal da unidade ou unidades, então vamos treinar o nosso “staff” o treinar é o de menos hoje o mercado tem dezenas de curso relativamente baratos, como estamos falando sobre Revenue Management, nenhum deles está apto a capacitar para esta filosofia, pois o que se diz e se escreve que eu posso ler no mercado Brasileiro sobre Revenue Management me mostra cabalmente que não sabem o que isso é, não sabem o impacto nos custos de 5% na queda de ocupação muito menos na sua elevação.

Conhecemos RM desde a primeira turma que se formou na Europa nesta ciência econômica de gestão e as pessoas perguntam, mas será que a pousada de 15 UH’s com gestão familiar, o hotel de turismo de lazer de 200 UH’s o HTL executivo de 500 UH’s e o resort de 1.500 têm a mesma necessidade?  SIM – Porém aqui nos deparamos com as três ferramentas de Revenue Management: a Simples a de média complexidade e a de alta complexidade, mas todos devem se fundamentar num método de gestão que não os leve a apresentar balanços no vermelho, e pode ser que haja muitos eu só conheço o R.M.

Isto começa a ficar complexo e sugiro que procurem equipes que já tenham feito que saibam como otimizar até um Resort com o “All Incluse” e possam também treinar o pessoal e precificar cada detalhe para o seu maior rendimento, e aqui falo de precificação de fato, alguém na organização sabe quanto custa o cafezinho em determinado dia, ou a miniatura do frigobar, ou o pão de queijo servido no café da manhã Revenue Management é uma Filosofia séria então tudo em seu torno requer seriedade. Um detalhe a miniatura do seu frigobar custou na N.F. R$5,00 mas este não e o seu verdadeiro custo dentro do empreendimento então é bom que o Gestor saiba qual é… O mesmo acontece com o pão de queijo e com qualquer outro produto adquirido, não, o palito de dentes comprado em caixas de 5000 também tem um preço diferente no contexto.

Como podem ver não vamos misturar Revenue Management com Distribuição e ritmos de reservas versus precificação, isto é só uma pequeníssima parte, já que vimos acima Revenue Management é muito analítico e pouco comercial. Nós ensinamos e Capacitamos para o uso pleno da filosofia de gestão. Visar a parte comercial é imediatista, pode em curto prazo parecer ótimo, porém… Além de que como você vai aumentar receita sem saber o real impacto de sua ação no custo operacional, acredite esse impacto existe e é muito maior do que você pensou originalmente. Economia é uma ciência exata e não um achismo. Não ache, tenha certeza.

Vamos entender algo simples se você procura implantar um sistema de Revenue Management a http://venturaeassociados.com.br  têm vasta experiência nisso e aconselho a um contrato de prestação de serviços pelo menos de seis meses mas o ideal é com certeza um ano, assim toda a equipe se familiariza com a nova visão do processo. Isto lhe garante 2 anos de (Budget).

Quer apenas treinar seu pessoal e continuar como está só que com pessoal mais qualificado, não faça isso sem ter em mãos um diagnóstico correto e claro de seu empreendimento, cada departamento e função o custo de cada cm² se este for o seu caso.

Além de que, até mesmo para as grandes redes os sistemas automatizados seriam dispensáveis quando iniciaram estes não existiam, o que precisa é o conhecimento e a capacitação para fazer funcionar, não me entenda mal, não estamos efetivamente dispensando os indispensáveis sistemas de automação, o que queremos que entenda, é que precisa ter o conhecimento, saber fazer sem sistema nenhum exatamente o que precisa, assim pode avaliar melhor o sistema no qual deve investir.

Ou acha que em 1978 quando o Marriott e o Hilton sentaram na mesa de negociações com Robert G. Cross para desenvolver os primeiros sistemas de Revenue management automatizados para a hotelaria eles não tinham um sistema manual que funcionasse? Tinham sim, por isso foi possível desenvolver o sistema que funciona até hoje.

Hotelaria e Hospitalidade

Curso fechado em Ouro Preto - Com todas as vantagens que este tipo de evento trás.
Curso fechado em Ouro Preto – Com todas as vantagens que este tipo de evento trás.

Devia ser proibido falar da primeira sem que a segunda fosse referenciada, porém e para mim, hoteleiro de criação é triste ter que admitir que a maioria dos ditos hoteleiros não são o que dizem ser e chega a ser ofensivo chamar certos proprietários e mesmo executivos de Hotel, de HOTELEIRO, uma profissão que trás em primeiro e acima de tudo a ARTE DE BEM RECEBER. É esta que sustenta e dá bons frutos à hotelaria.

 

Iniciei há mais de 40 Anos, na Boa Velha e Séria Escola do GRANDE CESAR RITZ de quem tive o prazer de conhecer por dentro algum de seus Empreendimentos SERVIÇO e FILOSOFIA. Um Hoteleiro é sempre e só um HOSPITALEIRO ou jamais será um hoteleiro.

 

Achava estranho e em que pese a confiança que tenho no meu Amigo e Sócio Mário Cezar Nogales, quando ele me dizia que, se eu quisesse ver hotelaria de Verdade teria que ir para as pousadinhas do interior de Minas Gerais, e assim a profissão me trouxe até Ouro Preto onde conheci O Hotel Pousada doArcanjo. Foi uma surpresa de três dias, desde a hora em que cheguei a um local onde nunca tinha vindo e um Porteiro vestido a caráter abriu a porta do taxi e disse às 6:30 da manhã: Bom Dia Senhor Rui Ventura, seja muito bem vindo. (Vamos entender que já me hospedei em hotéis ditos 5 estrelas onde o porteiro me viu sair do taxi e nem a bagagem foi pegar).

 

Entendi no Hotel Pousada do Arcanjo, um empreendimento de grande sucesso, mesmo depois de ver seus números, e este sucesso REAL, é devido em 85% há verdadeira hotelaria ali praticada a arte de Bem receber “HOSPITALIDADE”, já que os procedimentos outros não eram exatamente os mais adequados à rentável Administração Hoteleira, mas eu acrescento, nem precisam eles são um sucesso como HOSPITALEIROS, não me canso de dar os Parabéns ao proprietário do empreendimento assim como todos aos seus colaboradores. Eles são a expressão viva de uma frase que uso muito:

 

“Faça o que tem que ser feito, quando e como tem que ser feito, e não se preocupe os resultados sempre vão surpreendê-lo positivamente”.

 

Isto é um fato incontestável no Hotel Pousada do Arcanjo, onde há 14 anos seus proprietários e colaboradores seguem exatamente esse lema. E colhem e vão continuar colhendo o fruto desse trabalho sério digno e em prol do turismo e desenvolvimento da região.

 

Foi um prazer compartilhar com O Sr. Marcio, e suas Filhas os dois dias que lhes passei  parte do que me permite dizer há 40 anos:

 “Não há hotéis que não deem lucro, há hotéis mal administrados”. 

O Melhor é sair com a certeza de que a filosofia do Revenue Management vai ajudar esta maravilhosa família Hospitaleira a conhecer um pouco mais do que seu belo empreendimento pode dar.

 

 

Obrigado pela atenção que me dispensaram e por terem me aguentado os dois dias do nosso curso – A VOCÊ O MERECIDO SUCESSO.

 

Permitam-me lembrar: O Único lugar do Mundo onde o SUCESSO vem antes do TRABALHO – é nos dicionários.

logo branco 1

Um Tour, Instrução, conhecimento e constatação.

Águia Consultoria Consultoria Hoteleira Plena Nós Sempre conseguimos o Algo Mais.
Águia Consultoria
Consultoria Hoteleira Plena Nós Sempre conseguimos o Algo Mais.

Demos um curso em Porto Seguro, ficamos hospedados num empreendimento maravilhoso, com uma vista deslumbrante sobre a cidade e com um trabalho de gestão que o levará em breve a ser o mais categorizado empreendimento da cidade. Em que pese categorizado ter para mim uma conotação um pouco diferente, porém muito mais abrangente, não podemos esquecer que os pilares de sustentação da Grande Hotelaria são: Atendimento e Serviço.

Um Empreendimento Hoteleiro Levado a Sério
Vela Branca Hotel & Resort

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na contramão, temos grandes Operadoras como a CVC que tratam sem nenhum respeito seus passageiros e cobram preços exorbitantes para não dizer extorsivos, mas assustam os incautos com informações ERRADAS e não verdadeiras sobre os pequenos, porém eficientes e confiáveis receptivos do local. Sei que em todas as páreas há o bom e o mau – porém no caso dos serviços que verifiquei prestados pela referida agência em Porto Seguro, precisam melhorar muito para poderem ser considerados péssimos.

Da hotelaria em Porto Seguro e copa do Mundo, ali vão se hospedar duas das seleções da copa, mas as reservas dos hotéis mais tradicionais com serviço e preço mais coerentes não são para pessoas que querem ver jogadores jogo ou seleções, a maioria das reservas, e isto eu constatei do outro lado, na simpática e acolhedora Arraial D’Ajuda, são de pessoas dos grandes centros, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, querendo fugir do tumulto e da falta de organização fáceis de adivinhar para este período.

Fortaleza, e aqui a constatação é em empreendimentos digamos do nível mid scale o estrago é maior, em parte pela falta de conhecimentos dos gestores, pois eu conheço alguns que não tiveram este tipo de problema bastante visível por aqui.

A FIFA, como em muitas outras cidades fez bloqueios, e estes foram feitos no entusiasmo e oba oba do momento, avisei todos os que participaram de nossos cursos como isso deveria ser encarado, alguns nos ouviram, outros já sabiam de tudo estão tentando uma ocupação razoável.

Os bloqueios, pelo que pude entender não previam “dead line”, e ou estas não foram levadas a sério logo o que podemos ver é a FIFA devolvendo apartamentos a 14 dias do 1º jogo em Fortaleza com mais facilidade do que seus dirigentes trocam de camisa, do tipo, não vamos mais usar. Isto me desculpem é a total e absoluta falta de conhecimento da boa e infalivelmente rentável GESTÃO HOTELEIRA.

Isto posto resta deixar meu alerta para se precaverem para daqui a quatro meses quando o movimento vai ser assustadoramente descendente em relação às previsões.

Não vou poder esquecer de deixar outro alerta e este é repetitivo:

“Não há hotéis que não deem lucro, há hotéis mal administrados”.

Se no período da copa, que era precedido de todo o “oba oba” que conhecemos as coisas não foram como deviam, aprendam: O importante não é a ocupação é a rentabilização, e nisso nós somos, modéstia à Parte – OS MELHORES –.

PORQUE A CONSULTORIA

Águia Consultoria Consultoria Hoteleira Plena Especializada & Revenue Management
Águia Consultoria
Consultoria Hoteleira Plena Especializada &
Revenue Management

Temos no nosso mercado excelentes consultores, gente competente, ética, com ampla experiência profissional, que enfrentaram mercados com todas as suas nuances e se tornaram consultores de empreendedores e pessoas que queriam entrar com consciência no ramo. Tiveram formação específica na área antes de entrar no meio da consultoria – sem falsa modéstia fazemos parte deste seleto grupo que ainda atua profissionalmente. O foco deste texto é a importância da consultoria e os benefícios que empresas terão ao contratar consultores que venham agregar e rentabilizar o seu ou seus empreendimentos:

– Consultores em sua grande maioria são profissionais com vasta vivência de mercado como gestores e empreendedores, muitos com boa formação acadêmica, e experiência na área. O mercado exige uma atualização constante participação em debates e eventos e o “estar ligado de preferência de forma a não precisar reagir quando alguma mudança acontece no mercado em que atuam, mantendo-se assim à frente dos acontecimentos”. – O Consultor não é mágico não usa bola de cristal ou qualquer artefato mágico  para diagnosticar seu empreendimento,– por vezes o empreendedor/gestor crê ter plena consciência do que precisa, será? Mas para iniciarmos corretamente precisamos dar o passo certo que é o diagnóstico gerencial e/ou empresarial. Mesmo que saibam do que precisam o diagnóstico deve ser realizado pois sem ele não poderemos afirmar se a opinião reinante está correta ou comumente aparecem situações que passam desapercebidas a quem está envolvido com a rotina diária e este problema também deve ser corrigido; – A partir do diagnóstico existem dois caminhos – o primeiro é a contratada realizar as ações propostas, sugeridas no diagnóstico. O segundo é contratar nossos serviços ou de outro profissional que irá auxiliar através de ferramentas de gestão e operação, treinamentos dirigidos, implantação de sistemas, levantamento de custos, analises, capacitações, etc. – creia-me – consultor nenhum orienta todas as ações que devem ser realizadas a partir do diagnóstico que não seja por ele efetuado – Muitas das ações propostas, depois de devidamente compreendidas podem e devem ser realizadas por sua equipe mas vai observar que a continuidade do trabalho de um bom consultor fará toda a diferença;

 Muitos partirão da permissa que podem fazer sem a necessidade de abrir sua empresa para estranhos, – desculpe a franqueza, porque não fez? – encontramos no mercado centenas de engenheiros, médicos, veterinários e toda a sorte de profissionais extremamente competentes em suas áreas de atuação, administrando hotéis e restaurantes – isso dura pouco tempo, infelizmente – as pesquisas dizem que a maioria das empresas fecha antes do terceiro ano mais de 60% não temos dados específicos para hotelaria e alimentação em nível Brasil (apenas alguns estudos setorizados que mostram percentuais ainda mais altos, principalmente na área de Alimentos e Bebidas);

– Não temos notícia de alguém que tenha feito sua consulta médica em um economista, ou um estudo de viabilidade com um médico? Pois bem, o conhecimento em administração hoteleira e principalmente na “intrincada” área de Alimentos e Bebidas é específico e deve ser valorizado – existem inúmeros novos modelos de gestão e operação desconhecidos ou pouco conhecidos da grande maioria dos empreendedores alguns agregam valor outros nem tanto mas isso deve ser analisado por um especialista e não por um apresentador de sistemas só o profissional de A & B ou o consultor pleno de Administração hoteleira terá condições de avaliar o real custo benefício desses sistemas, precisa conhecer a base de tudo; – Muitos dizem –consultoria tem um custo elevado para minha empresa –– Será? – é muito mais econômico do que pensa, o retorno é praticamente imediato (dependendo da velocidade com que implementar as ações) temos observado na maioria das empresas  que após o final dos nossos trabalhos, empresas e gestores se tornam mais ágeis, conscientes de suas metas, e com um caminho efetivo para trilharem, isso dá animo. Um pequeno exemplo prático e de agradecimento e valorização: não há muito tempo desenvolvemos um trabalho de consultoria com um determinado valor, o empresário entendeu que se fizesse o que sugerimos a economia anual seria de um valor muito substancial, realmente expressivo, tomou as providências e sem qualquer aviso nos enviou um e-mail com a sua satisfação expressa, e nele vinha o valor do pagamento já efetuado. Ligamos para saber quando deveríamos voltar, fomos surpreendidos com as palavras “o lucro que suas sugestões nos proporcionarão vale exatamente o dobro que que nos cobrou”. Há pessoas muito conscientes o caro no inicio tornou-se vantajoso em dias.

Pense, principalmente o empresário com elevado faturamento na área de Alimentos e Bebidas, acredite esta é uma área altamente lucrativa e se assim não for, consulte.

A Águia Consultoria e sua parceira SN Hotelaria está ao inteiro dispor para a realização de tudo o que se fizer necessário no ramo Hoteleiro. Somos especialistas em HOTELARIA